Glaucoma

O que é:

     É um nome genérico para referir-se a vários problemas que aumentam a pressão intra-ocular (embora existam outros tipos de glaucoma), danificando o nervo óptico. O Glaucoma não tem cura, atinge 2% a 4% da população acima dos 40 anos de idade (cerca de 900 mil brasileiros) e pode levar à cegueira irreversível, se não tratado corretamente.
     Exemplo de uma visão normal e de uma visão com glaucoma avançado:


     Há mais de 40 subtipos da doença, sendo que assolam principalmente a população negra. Outros fatores de risco são: diabetes, hipertensão, obesidade, sedentarismo e casos na família (componente hereditário).

Diagnóstico
     Para o diagnóstico do glaucoma alguns exames devem ser realizados, como a tomada da pressão intra-ocular, o exame de fundo de olho para avaliar se existe lesão do nervo óptico, o exame para classificar o tipo de glaucoma e o teste de campo visual para avaliar se há perda desse campo.
     Existe um método de diagnóstico simples, que avalia com boa eficiência a presença ou não do problema e que dura cerca de 20 segundos. O diagnóstico precoce é importante, pois o glaucoma progride lentamente e é a doença que mais cega (de forma irreversível) no mundo. Vale destacar que o glaucoma geralmente é assintomático no início, portanto, deve-se realizar exames oftalmológicos periódicos, principalmente nas pessoas do grupo de risco.

Tratamento
     Os tratamentos mais comuns são: colírios (que diminuem a pressão ocular), comprimidos ou cirurgias (nos casos em que os medicamentos não foram eficientes).


Dia Nacional de Combate ao Glaucoma = 26 de maio

     O glaucoma é “uma doença” pouco divulgada e poucas pessoas tem conhecimento de sua gravidade. Muitos indivíduos acometidos com esse problema não realizam o tratamento recomendado, podendo sofrer no futuro com uma cegueira irreversível.
     Se você tem glaucoma (ou conhece alguém que tenha), entenda a importância de usar corretamente o colírio ou o medicamento indicado pelo médico, pois, embora a doença não possa ser curada, pode, pelo menos, ser estabilizada.

Autor: Wésley de Sousa Câmara 


Referências:
http://www.ibc.gov.br/?itemid=118
http://www.glaucoma.org/
http://www.abrag.com.br/inical.htm