Por que sentimos sede após as refeições?


   Provavelmente você já percebeu que após a alimentação, principalmente quando é salgada, surge aquela sede que pode persistir por horas, necessitando a todo o momento de tomar algum líquido. Se essa refeição for pouco antes de dormir, muitas vezes o sono é interrompido por uma sede imensa. Se já aconteceu isso com você, fique tranquilo! É sinal que seu organismo está respondendo bem a uma "condição adversa".
   O que acontece é o seguinte:
   Quando ingerimos muito açúcar ou uma refeição salgada, uma grande quantidade de glicose ou de sódio (que é a base do sal de cozinha, entre outras coisas) será absorvida pelo nosso intestino e chegará à nossa corrente sanguínea. O sangue ficará com uma alta concentração dessas substâncias e se o corpo não reagir de alguma forma, boa parte da água que existe em nós será "atraída" para o sangue (pois há uma tendência natural da água caminhar de um meio menos concentrado para outro que está mais concentrado, na tentativa de equilibrar os dois locais. Esse processo chama-se osmose). Embora esse equilíbrio seja necessário para a vida, se isso acontecesse, nossas células perderiam tanta água que entraríamos em um estado de grande desidratação. Porém, nosso corpo é incrível e sabe perfeitamente como resolver o problema:
- Quando essas substâncias (sendo o sódio a principal) chegam ao sangue, uma estrutura situada próximo ao cérebro (chamada hipotálamo) é estimulada e produz o Hormônio Antidiurético, que, como o nome diz, diminui o volume de urina, por fazer os rins reterem maior quantidade de água, que voltará para o sangue, na tentativa de "diluir esse excesso de sódio". Porém essa retenção geralmente não é suficiente e aí que vem o principal mecanismo de controle: a sede!
- O sódio em excesso no sangue promove também a estimulação de outra região do hipotálamo, que é chamado de "centro da sede". Esse local, quando estimulado, manda uma mensagem para o cérebro (que é o responsável por nossas ações conscientes), dizendo que precisamos ingerir água para equilibrar a concentração dessas substâncias no sangue. E assim surge a vontade de tomar água, que persistirá até que essa concentração seja equilibrada.
   Quando o líquido que tomamos (principalmente gelado) passa pela faringe ("garganta"), uma mensagem é enviada ao cérebro, cessando em poucos segundos a sede. Essa "satisfação" não dura mais do que meia hora, caso a quantidade ingerida tenha sido insuficiente e teremos novamente sede. E assim vai, até que nossos rins eliminem o excesso de sódio e tudo volte ao normal.

Autor: Wésley de Sousa Câmara