HIPERURICEMIA (ÁCIDO ÚRICO ELEVADO)


     O ácido úrico é uma substância produzida no fígado, que surge da degradação de proteína ("purinas") presente dos alimentos que ingerimos. Quanto mais purinas ingerimos, mais ácido úrico produzimos. Quando seu nível está elevado no sangue, gera a hiperuricemia. Com isso, o ácido úrico pode se depositar nas articulações, gerando uma dolorosa inflamação (a doença chamada "Gota", que afeta principalmente o primeiro dedo do pé). Quando os níveis encontram-se ainda mais elevados, pode também ocorrer sua deposição na pele (porém não há comprovação da suposta relação entre ácido úrico e descamação da pele). Os rins também podem ser afetados, com a formação de cálculos (pedras) de ácido úrico.

Fatores de risco para gota:
     Obesidade, hipertensão arterial, traumatismo em articulações, jejuns prolongados, bebidas alcoólicas, consumo excessivo de alimentos ricos em purinas, uso de diuréticos.

Tratamento da gota:
     Durante a crise de artrite são usados antiinflamatórios comuns, colchicina ou corticoides, sempre com prescrição médica. Após a crise, é feito o controle do ácido úrico com medicação específica para reduzir seus níveis.
     Geralmente (a menos que haja histórica de pedra no rim por ácido úrico e/ou níveis maiores que 13 mg/dl no homem ou 10 mg/dl na mulher) não se trata com medicamentos níveis elevados de ácido úrico, se a pessoa não tem sintomas. Nesses casos, apenas uma dieta apropriada normalmente é suficiente para reduzir esses níveis.

DIETA PARA HIPERURICEMIA E GOTA:

Não consumir: Bacon, porco, vitela, cabrito, carneiro, miúdos (fígado, coração, rim, língua); Salmão, sardinha, truta, bacalhau, ovos de peixe, caviar, marisco, ostra, camarão; Peru e ganso; Bebidas alcoólicas.

Consumir no máximo em pequena quantidade: Carne de vaca, novilho e coelho; frango e pato; lagosta e caranguejo; feijão, grão-de-bico, ervilha, lentilha, aspargos, cogumelos, couve-flor, espinafre.

Consumir à vontade: Leite, chá, café, chocolate, queijo amarelo magro, ovo cozido, cereais, pão, macarrão, fubá, batata, arroz branco, milho, mandioca, sagu, vegetais (couve, repolho, alface, acelga e agrião), frutos secos, doces e frutas (mesmo as ácidas).

Autor: Wésley de Sousa Câmara
Novembro de 2016