IMPACTAÇÃO (ROLHA) DE CERUME


     O canal auditivo (meato acústico externo) humano possui glândulas que produzem substâncias “gordurosas” em sua porção mais externa, que quando associadas a células do próprio ouvido, poluição, bactérias e pelos, são chamadas de cerume. Esse cerume serve como proteção ao aparelho auditivo, dificultando o ressecamento do canal, protegendo de bactérias e de corpos estranhos (como a entrada de insetos).
     Vale dizer que o cerume produzido por nosso ouvido é “empurrado” para fora pelo nosso próprio organismo, sendo que nós devemos apenas limpar essa cera eliminada ao exterior, sem jamais inserir objetos (grampos, palitos ou “cotonetes”) no canal auditivo para limpeza, pois além de retirarmos a proteção do ouvido, podemos danificar o conduto auditivo e a membrana timpânica.
     Algumas pessoas acabam produzindo grande quantidade de cera, que pode se acumular no interior do ouvido (principalmente quando insere objetos, como as hastes com algodão/”cotonetes”), provocando o chamado “cerume impactado” ou “rolha de cerume”, fazendo com que o canal fique obstruído e gerando às vezes sintomas, como: coceira em ouvidos, ruídos/zumbidos, tontura, dor e surdez. Nesses casos é necessária a aplicação de uma solução otológica apropriada nos ouvidos e eventualmente, realização de “lavagem”, ambos após avaliação e recomendação médica.
     Como deve ter percebido, a formação de “rolha de cerume” não é sinônimo de falta de higiene, nem de falta de limpeza do ouvido (pois como vimos, só devemos limpar a parte externa das orelhas). Pelo contrário, muitas vezes a impactação de cerume é causada justamente pelo excesso de limpeza, ao inserir objetos no canal auditivo. Idosos e crianças também tem uma maior predisposição a ter essa obstrução do canal, assim como pessoas com deformidades no aparelho auditivo.
     Em nossa unidade de saúde da família realizamos as chamadas “lavagens de ouvido” em todos os pacientes com indicação, sem doenças ou alterações importantes do canal auditivo, reduzindo assim os encaminhamentos para otorrinolaringologistas. É um procedimento relativamente rápido e indolor, com baixíssimo índice de complicações quando realizado de forma correta e cuidadosa. Não há necessidade de equipamentos sofisticados e o profissional habilitado pode realizá-lo sem riscos. O paciente usa previamente, em casa, por 7 a 10 dias, uma solução otológica no (s) ouvidos (s) - Cerumin®, fazendo com que o cerume fique amolecido e saia facilmente durante o procedimento, que consiste na instilação de soro fisiológico morno no canal auditivo, com frequente verificação do canal por otoscópio. Quando o procedimento não promove uma remoção satisfatória do cerume, o paciente é encaminhado ao otorrinolaringologista para avaliação e remoção mecânica, com instrumentos específicos e apropriados.

Autor: Wésley de Sousa Câmara 
01/05/2017